terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Olha olha como te preocupas, como quando alguém te chama vais lá e estás com um olho lá e outro cá. Olha olha o balanço extraordinário que fazes para não deixares aqui nada por dar atenção ou afecto enquanto vais ali. Olha olha esse um pé cá um pé lá, sempre jogando com o equilíbrio dos astros para manteres a tua estrela acesa, luminosa. Olha olha como vestes a farda do ardina vendendo um jornal aqui nunca descurando o outro que pode ser vendido ali, a farda do bombeiro apagando um fogo aqui correndo para acolá. Olha olha moço, como transpiras do corpo e da alma para teres numa mão o sol a nascer e na outra o mais belo pôr do sol, os braços esticados e teus olhos estrábicos. Olha, olha o que eu te digo moço!, que vestes camisa tão trabalhadora, olha como mudas (olha que mudas!) a ordem natural do mundo nessa espécie de escondidinhas-caçadinhas. Olha... 1 2 3, como me chamo, como te chamas, devia dizer agora: stop!
1 2 3, 1 2 3, 1 2 3, 1 2 3, corre moço! Ou já não queres unir os dois pólos do mundo com as tuas mãos?

6 comentários:

Pipette disse...

O melhor post deste blogue até hoje.

(vou só ali lê-lo outra vez e já volto)

Pipette disse...

Confirma-se. Maravilhoso :)

Street Fighting Man disse...

muito bom texto. levezinho, com uma ânsia a marcar compasso. um pôr do sol invernoso, todo sim senhor.

ps: continuo a achar estranhíssimo quando ouço/leio caçadinhas ou escondidinhas lol na minha terra não se diz assim

pss: acho que te vi hoje na torrinha ;)

Francisco disse...

muito obrigado aos dois!
"Ânsia"... acho que não o diria melhor.

Um abraço para os dois.

P.S.: viste sim, que eu também te vi já ias tu longe. estava com uma menina e uma senhora muito bonitas, não era assim?:)

franci23 disse...

Muito belo!

Francisco disse...

Obrigado, Franci... "valeu"! :)